| 
  • If you are citizen of an European Union member nation, you may not use this service unless you are at least 16 years old.

  • Stop wasting time looking for files and revisions. Connect your Gmail, DriveDropbox, and Slack accounts and in less than 2 minutes, Dokkio will automatically organize all your file attachments. Learn more and claim your free account.

View
 

Summerhill

Page history last edited by Luciana 12 years ago

Você já sonhou com uma escola cujo pátio é uma imensa área verde, com gramados e árvores para as crianças subirem e brincarem o dia todo? E em seu sonho, elas só iriam para a sala de aula por interesse, e não por obrigação; não haveriam provas, nem testes? Seria uma escola em que todos, adultos e crianças, poderiam se expressar livremente, criar suas próprias leis de convivência, a partir de um acordo entre eles? E as crianças aprenderiam a pensar por elas mesmas, a fazer suas próprias escolhas e a assumi-las, a se sentirem responsáveis por si mesmas e pelo grupo, a serem confiantes; e aprenderiam a solidariedade, a tolerância, a liberdade? Você já sonhou com uma escola assim?

Para alguns, ela só existe em sonho, um sonho impossível, como uma utopia distante. Afinal, hão de se perguntar os mais céticos, como é que as crianças vão aprender alguma coisa, serem "alguém na vida", se nem chegam a entrar em uma sala de aula? Para esses, tal modelo de escola é uma idéia maluca, de algum rebelde romântico que, na prática, não prepara as crianças para a vida como ela é, para o mundo real em que vivemos, competitivo, agressivo, desigual.

Mas, para outros, essa escola não é um sonho a mais, ela é real e existe há mais de oitenta anos! Seu nome é Summerhill e foi criada em 1921, pelo professor e escritor Alexander Sutherland Neill. A. S. Neill e sua escola se tornaram mundialmente famosos no final dos anos sessenta, com a publicação de "Summerhill (A Liberdade sem Medo), Transformação na Teoria e na Prática", livro sobre a experiência revolucionária de uma escola-comunidade formada por crianças, jovens e adultos (diretor, professores e funcionários), que ganhou o apelido (irônico) na Inglaterra, de "escola faça-como-quiser" ("do as you like school").

MITOS E REALIDADE EM SUMMERHILL

É bem verdade que hoje a escola é quase uma lenda e, como tal, alimenta alguns mitos. Mas a realidade tem se encarregado de desmistificá-los. Nesses mais de oitenta anos de vida, por exemplo, não houve sequer um caso de gravidez, nem tampouco problemas com drogas ou bebida (o consumo é proibido na escola), também não foram registrados casos graves de doença ou de segurança - Summerhill é periodicamente inspecionada por órgãos governamentais. Também é fato contra mito (de que, sem uma disciplina rigorosa, os alunos se transformam em criaturas anti-sociais, quase selvagens), que a maioria dos visitantes se impressiona com a maturidade e com a polidez dos alunos. E, finalmente, contra o maior de todos os "contras" - a tese de que as crianças não poderiam sobreviver no "mundo real" - há uma realidade irrefutável. É só seguir os passos dos ex-alunos. Eles são felizes e bem sucedidos atores, artistas, arquitetos, homens e mulheres de negócios, médicos, fazendeiros, bailarinos, cineastas, ilustradores, jornalistas, carpinteiros, advogados, músicos, cientistas, fotógrafos, técnicos de som, cirurgiões, professores, escritores..., que guardam lembranças profundas e inesquecíveis de sua passagem por Summerhill.

São eles que garantem a sobrevivência da escola e, acima de tudo, a sobrevivência do "sonho" de liberdade proposto por A S. Neill. Para os que ainda não conhecem ou precisam de mais provas para acreditar, vale a pena assistir ao documentário "As Crianças de Summerhill", que a TV Escola vai apresentar no próximo dia 30 de junho, no programa "Ensino Fundamental". Pelos depoimentos, nos sorrisos e pelo brilho nos olhos de alguns entrevistados, pode-se concluir que a liberdade saiu vencedora!

 

Fonte: Karla Hansen

Comments (0)

You don't have permission to comment on this page.